Como começar a ler quadrinhos?

Como começar a ler quadrinhos?Quando iniciei o blog, a intenção era falar essencialmente sobre música – daí o nome Disco Arranhado. Porém, como o tempo e o interesse mostraram, foram as histórias em quadrinho que realmente se destacaram entre as 100 postagens publicadas até o momento.

Para comemorar essa marca histórica (ao menos para um blog escrito inteiramente por mim), decidi fazer um pequeno guia com dicas de leitura para se iniciar nesse meio. Afinal, não é todo mundo que cresceu lendo quadrinhos desde pequeno. Além disso, a grande quantidade de material disponível atualmente nas bancas e livrarias é capaz de assustar até mesmo quem já conhece alguns autores e personagens famosos.

Além do gosto pessoal, pesou na seleção a acessibilidade das obras. Portanto, não estranhe a ausência de obras como Watchmen. Afinal, por mais genial que seja a obra de Allan Moore, a quantidade de referências necessárias para compreendê-la ultrapassa a capacidade até mesmo de gente que passou a vida toda lendo histórias de super heróis.

Confira abaixo a seleção feita, e não deixe de registrar sua opinião na seção de comentários do blog.

Calvin e Haroldo

Calvin e HaroldoEsse é o tipo de obra universal que deve ser lida por qualquer faixa etária, e independente de qualquer conhecimento anterior do mundo dos quadrinhos. Com bom humor e ironia na medida certa, Bill Waterson conseguiu criar uma das tiras mais memoráveis de todos os tempos.

Calvin é um personagem ao mesmo tempo irritante e adorável, do tipo que é impossível não se identificar. Apesar de se tratar de uma criança, muitas de suas frustrações e desejos são exatamente os mesmos de muitos adultos, que não conseguem entender os limites estabelecidos pelo mundo e querem uma escapatória da rotina.

Já Haroldo serve como a parte racional da dupla, sempre alertando o garoto sobre os problemas que suas decisões podem causar. Mesmo que seus argumentos nunca cheguem a convencer, ele está sempre à disposição para entrar nas aventuras malucas propostas por Calvin. E claro, dar uma boa sacaneada nos momentos mais propícios.

Os coadjuvantes também se destacam, especialmente o pai e a mãe do protagonista, que são responsáveis por muitos momentos bastante divertidos. Quem procura um quadrinho leve e inteligente não pode deixar de conferir Calvin e Haroldo. As edições da Conrad estão disponíveis por preços acessíveis e são fáceis de encontrar em qualquer livraria, com a vantagem de não ser preciso acompanhá-las em ordem cronológica.

Maus

Quem procura uma história com temática mais séria e realista tem em Maus um dos principais exemplos do motivo pelo qual quadrinhos não devem ser tratados como uma arte menor. Ao retratar a história de seu pai durante a Segunda Guerra Mundial, Art Spiegelman confere uma visão única do conflito que foge dos clichês estabelecidos por Hollywood.

Vladek não é um judeu talentoso ou especialmente sortudo, mas sim um homem comum que viu sua vida totalmente alterada por uma guerra que não lhe dizia respeito. A perda de sua riqueza, família e amigos transformam lentamente o homem que, mesmo após o fim do conflito, se vê preso aos hábitos que teve que adotar para sobreviver.

MausMaus é aquele tipo de obra que ocupa lugar constante na memória e se torna uma forte referência durante a análise de qualquer outro quadrinho. Apesar de recomendá-la a qualquer idade, o tema é mais apropriado para leitores mais velhos e que já possuam um interesse anterior pela Segunda Guerra Mundial.

Devido à importância e qualidade da obra, Maus é um dos quadrinhos que pretendo reler em breve para trabalhar em um post exclusivo.

Retalhos

RetalhosRetalhos é aquele tipo de obra com apelo universal que reflete de maneira fiel muitas das experiências e expectativas que todos conservamos mais cedo ou mais tarde durante a vida. Porém, o impacto real se dá em quem já é um jovem adulto ou está no fim da adolescência e já teve que enfrentar o fim de namoros, problemas familiares e a sensação de não pertencer ao lugar onde vive.

Essa autobiografia em forma de quadrinhos narra uma história de amor que, apesar de não ter um final exatamente feliz, nunca cai na autocomiseração ou pieguice. Porém, mais do que se focar em relacionamentos, Retalhos é uma obra sobre crescimento pessoal e a importância de questionar aquilo que nos é dado como certo e, assim, encontrar um lugar próprio no mundo.

A arte da obra se destaca por transitar entre o real e o abstrato a todo o momento, dando mais impacto às experiências pelas quais o autor passou. As 592 páginas do volume fluem como se fossem 50, e vale a pena reler o livro diversas vezes em busca de detalhes que podem ter passado batidos. Para os interessados, recomendo conferir o preço em lojas online, que costumam disponibilizar o quadrinho com descontos bastante atraentes.

Guerra Civil

Quem procura por temas mais convencionais e quer ver batalhas épicas entre pessoas vestidas com roupas colantes tem em Guerra Civil um belo ponto de partida. Embora muitas das situações apresentadas na série não tenham mais validade no universo Marvel, a leitura serve como um bom primeiro passo para entender quais os principais equipes de personagens e entender a dinâmica entre cada uma delas.

Guerra CivilGuerra Civil não é uma obra que vai mudar a opinião de ninguém, tampouco causar um impacto duradouro em sua percepção de mundo. Porém, é uma história divertida e que tem tudo para capturar a atenção de leitores que acompanhavam histórias de super heróis durante a infância e, por um ou outro motivo, deixaram isso de lado com o passar dos anos.

Nova Iorque: a vida na grande cidade

Nova Iorque: a vida na grande cidadeConforme disse em minha resenha da obra, Nova Iorque é o quadrinho perfeito para você apresentar para aquele seu primo ou amigo que considera esse tipo de produção coisa para crianças. Eisner domina como poucos a arte seqüencial, e é capaz de empregar com perfeição as mais diferentes técnicas sem nenhum esforço aparente.

As diversas histórias apresentadas refletem situações pelas quais qualquer morador de uma grande cidade já passou em algum momento da vida, criando uma identificação quase imediata com muitos dos personagens. Com um preço bastante razoável, o volume é daqueles que vale a pena manter em lugar de destaque em meio à coleção.

Scott Pilgrim Contra o Mundo

Quem passou a vida jogando videogames e tem decorados todos os segredos de Legend of Zelda e Sonic 3 tem em Scott Pilgrim um bom lugar para começar no mundo dos quadrinhos. Recheados de referências ao mundo dos videogames e situações surreais, os três volumes são uma boa opção para quem procura uma leitura que mistura de forma competente ação, romance e humor nonsense.

Scott Pilgrim Contra o MundoEmbora a qualidade caia um pouco nos últimos arcos e o final esteja longe de ser satisfatório (aspecto no qual o filme se sai melhor), Scott Pilgrim é o tipo de revista que se pega para ler repetidas vezes, nem que seja para ficar procurando referências. O que pode desestimular um pouco é o custo elevado – cada um dos três volumes publicados pela Companhia das Letras custa em média R$ 35.

Siga a própria curiosidade

Os quadrinhos aqui listados devem ser tomados simplesmente como uma sugestão de leitura, e em nenhum momento devem ser entendidos como uma cartilha obrigatória de títulos. Por questão de espaço, muitas obras igualmente interessantes foram deixadas de fora, o que não deve ser interpretado como uma crítica a sua qualidade ou relevância.

Com a grande quantidade de conteúdo disponível em bancas e livrarias atualmente, vale a pena perder alguns minutos investigando as opções disponíveis. Apesar de muitos volumes possuírem qualidade discutível ou possuírem foco em mercados muito específicos, a chance de encontrar algo que corresponda a seu gosto pessoal é muito grande.

O ideal é pesquisar e seguir as recomendações de amigos, sites e outros meios especializados nesse tipo de mídia. E acima de tudo, tentar abandonar qualquer espécie de preconceito antes de se aventurar no vasto mundo da arte seqüencial.

Anúncios
Esse post foi publicado em Especiais, Quadrinhos e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Como começar a ler quadrinhos?

  1. Marina disse:

    ok, já vi que o próximo livro que emprestar vai ser Retalhos hahaha. E o que eu quero ler vai ser o último =O
    ok ok, eu espero.

    =*

  2. thago wendling disse:

    Um dos melhores posts que eu ja ví, não poderia ser diferente depois de tantos não é mesmo?
    Otima ideia essa de falar sobre quadrinhos, senti falta de alguns, cita-se:
    Sandman, obras de Frank Miller,Dragon Ball,entre outas tantas
    Longa vida ao blog,grande abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s